sexta-feira, 8 de julho de 2011

Sei que sabes...


Sei dos teus medos em sono profundo
Sei dos teus passos no asfalto do mundo
Sei que nasceste na vida sem pai
E da mãe que tiveste com ai...
Sei meu amigo desse teu ar moribundo
Sei, amor que nasceu em ti, tão viçoso e profundo
Sei daquela saudade que nasce em ti tão capaz
E da nostalgia do dia, que querias ter sido audaz!
Mas a vida escolheu outro palco para encenares
Desenhando-te já cansado para continuares
E na tela do verbo ser de menino da tua época
Voltar atrás é melodia de sinfonia louca!...

Ai, pudera eu amar-te e proteger-te
Afagar-te em mim e merecer-te
Porque sabes? É que também sei
Aquilo que em ti já me dei...

Sei que ao partilharmos a alma
Nenhum de nós jamais sentiria a calma...

Duas quimeras perdidas no caminho
Explodiriam no êxtase do carinho
E deixariam a vida de mansinho...

Sabes? Sei que sim, que sabes...
Um dia no coração fizemos as pazes!

8 comentários:

Parapeito disse...

que bonito nina*
Ainda bem que sabe...
*
venho tambem te deixar um abraço e desejo que tenhas um fim de semana cheio de brisas mansas.
Sabes...quando li o teu recado aquele "nina azulinha" lembrou me o nosso amigo ...nunca mais soube nada dele :(
Brisas doces para ele esteja onde estiver.
E pra terminar digo te...Hoje o meu Duarte faz 6 meses :))

Fa menor disse...

De beleza tanta!

Que as almas possam sempre se afagar!

Beijinhos

Maria disse...

Tão bonito...
Para que temos dois braços? Para nos abraçarmos!!!

Por isso, abraço-te.

Teresa Durães disse...

e o aconchego nos abraços é tão bom!

Olinda Melo disse...

Olá, minha querida

Como comentar este poema, que traduz um sentimento tão grande, aliás vários sentimentos:abnegação,compreensão, partilha, amor...

Contudo haverá uma certa negação? Ou medo?Da explosão ou da simbiose perfeita...de duas almas, duas quimeras...

Beijo

Olinda

valquiria disse...

♥*♥*♥**♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥* Não podemos acrescentar dias à nossa vida, mas podemos acrescentar vida aos nossos dias.
Cora Coralina.
O apreço dum carinho amigo, quem não o deseja? amizade é fruto de confiança e afeto, meu abraço.
♥*♥*♥**♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥*♥

Eduardo Aleixo disse...

Poema de doçura e de sábia abnegação de quiça duas almas gémeas assim teriam de decidir de acordo com ditames de profundo mistério. Beijo.

Baila sem peso disse...

Parapeito

Pois...saberá, mas nada adiantará!:)

...e nina, do nosso amigo
Eu tb não soube nada não :(
Talvez o seu estar
Tenha outra condição...
Brisas serenas e doces
Em seu coração!...

P`ró teu Duarte:
(os seis mesitos já lá vão)
Seja bafejado com fada mto boazinha
E faça muiiitos mais como deseja avózinha :)

Brisas serenas e suaves nina**
E caminho de suavidade no teu lar
Com todos os teus amores a ajudar!:*

Fa menor

Seria a pura sensação
Se alma desse abraço
Sorriria o coração!!! :)

Beijinhos tantos

Maria

Ora toma lá mais um
E a seguir vai outro...
Que um abracito
Sabe sempre a pouco:)

Abracito louco:)

Teresa Durães

Tão bom, tão docinho
Nos braços do sentir
Todo o corpo a sorrir!!!

Abracito amiguito

Olinda Melo

Olá, ó Linda!
Vou fazer perguntinha minha:
Será que a menina me conhece
Pois no sentido da tradução transparece
Todo o sentido com que poema se veste!:)))

Beijo e minh`alma mto agradece!:)

Valquíria

Recebi o abraço
E prometo devolvê-lo
Com a mesma gratidão
Com que me veio parar à mão!

Amizade no coração!:)

Eduardo Aleixo

Ó Eduardo meu bom amigo
Quem como tu para dar sentido
Ao segredar de um caso escondido :)
Mistério é poema que trago sempre comigo!

E vai meu beijo agradecido!:)