terça-feira, 2 de agosto de 2011

Ausência


Vi a tristeza chorando num canto
Em que a alma toda estremecia
Dei-lhe meu afago por encanto
E seu estado mudança prometia

Ai, mas é tão incerta a mudança
Quando nos ventos sopra lonjura
É como acariciar uma criança
Sabendo que o sentir não dura

A solidão se junta à tristeza
E reside um bailado de leveza
Que no corpo é estranho condão...

E pelo céu com asas de falcão
Dançando em nuvens de algodão
Jaz flor, em coração de incerteza!...

7 comentários:

Maria disse...

Porque é que as ausências doem tanto?...

Um beijo.

Fa menor disse...

A ausência muda-nos muitas vezes o rumo da vida.

Bjos

Olinda Melo disse...

Na imagem, um começo de mar e um veículo convidando a um certo desejo de aventura para as lonjuras do nosso encantamento. Mas o coração, lá está,nem sempre é tão afoito que embarque em mudanças.Resta sempre as asas da imaginação e com ela poderemos tocar o céu.

Lindo poema para começar o meu dia.

Obrigada.

Olinda

Vieira Calado disse...

Um bem bonito soneto!


Saudações poéticas!

AnaMar (pseudónimo) disse...

Um bailado de palavras na tristeza da ausência.
Porque é que a dor produz sonetos tão belos?

Olinda Melo disse...

Olá, Baila sem peso

Passei por aqui para agradecer a sua visita e as palavras de apreço e carinho que me deixou, no meu blog.

Beijinhos e até breve.

Olinda

Baila sem peso disse...

Maria

Não sei...mas que doem , doem
Aquelas que tanto nos moem
Que corações e almas constroem...

Um beijo minha amiga Maria :)

Fa menor

Xiii...nem me digas, amiga!
Mudança? Fiquei tão parada...
nem apetecia fazer nada!:)

Bjinhos

Olinda Melo

E nas asas da imaginação
Sempre areja o coração...
Quem dera ser aventureira...
Mas esta minh`alma sonhadora
É de um sossego...é aterradora! :)

Obrigada pela carinhosa simpatia
Que chega aqui (ou ali) noite ou dia :)

Abracito com carinho

Vieira Calado

Tem tempo amigo meu
Que não escutava dito seu!:)

Como sempre agradeço
Sua visita e seu apreço!

Saudação em seu coração

AnaMar

Minha amiga, nem sei que diga!
Tenho andado tão afastada daqui
Mas vejo que amigos não perdi :)

Tu conheces a dor...
Ou não fosses tu poeta com ardor:)

Deixo meu abraço de amizade em laço

Olinda Melo

Agradecer!!!...mas minha amiga quem agradece sou eu!
Fico tão “sem jeito”, no seu ser, o quanto me comoveu...

Até breve...pois, aí séria questão...
Será que consigo levar prá frente este meu tempo
E em cada momento aqui, dar asas ao coração?
(uma certeza porém...se não escrever por aqui
não deixarei de ler por ali):)

Beijinhos pois então!!

Não desejo faltar, de vir por aqui e acolá
mas só o tempo dirá
se terei sempre a disponibilidade
de traduzir em verdade, essa vontade!

Ainda de férias, vou tentando
o espacinho de todos visitando
ainda que com pouco espaço
no tempo, ande o embaraço!

Para todos um profundo abraço
com OBRIGADA em agradecimento,
a vosso mimado tempo e espaço!