quarta-feira, 7 de abril de 2010

Colo


Desejo tanto e tão intensamente
de tão intensamente que desejo
que o meu intenso o consente
consentindo-o como puro beijo.

Neste andar assim insistente
insistentemente descontente
não vejo porquê este ensejo
se faz desejo, chama ardente.

Que procura em desejo imenso
no insistente descontentamento
neste andar assim como no vento...

talvez um tudo e nada que acalento
um desejo puro sal de mar, sedento
ou simplesmente...o teu colo intenso!

17 comentários:

Maria disse...

Não acredito em coincidências...
Mas que diabo, às zero horas sairá algo sobre colo, lá...

Beijos

a.mar disse...

assim como as abelhas que transportam o pólen ao colo, de flor em flor.
E o pólen agarra-se com uma vontade imensa de ir parar noutras paragens e criar com amor
outras flores.

alcinda leal disse...

Que bom um colinho!
Como vai, amiga?
Gosto muito do seu soneto.
Parabéns
Beijinhos
Alcinda

Hana disse...

Nada melhor qu eum colo intenso!em meu blog vou postar sobre Elena Roosevelt, vai adorar ler, eu me espelho nela desde muito criança, eu a adoro.
com carinho
Hana

Eduardo Aleixo disse...

...simplesmente...
o teu colo intenso...
Feliz maneira de concluir um poema.
Cúpula de catedral.
Ao mesmo tempo alicerce das palavras e dos sentimentos.
Colo, calor, foz, refrigério...
beijos
Eduardo

Vítor disse...

Belo e comportado mas,

Deixa-me sugar seu alento
comer seus restos sedentos
cospir seus ossos e soprá-los ao vento

Deixa-me como céu claro
suave rebento
transformar seu ensejo
em loucura

Pois que caos sou
e com minhas seis dançarinas
o fulgor selvagem espalho
por essa terra espinhosa

Deixa-me conter-te a canção
mais velha que o mais velho
te contar a angústia
dos profetas

E por fim olhe nos meus olhos
quebre o espelho
e receba de meu coração
o líquido negro e amargo
do puro êxtase

eco disse...

muitos parabens, lindissimo!

eco

notyet disse...

De colo, como de ser acarinhado, toda a gente gosta.
Só há diferença na prece...

poetaeusou . . . disse...

*
acalentado colo,
lindo !
,
o beijo
o sal da vida
osculando a amizade
no cais do acalento
onde a felicidade
é trazida pelo vento . . . sedento !
,
(lê se puderes, respostas,
nos meus anteriores postes)
,
brisas serenas, deixo,
,
*

Áurea disse...

Boa noite minha amiga
Que venho agora a chegar
Pois eu cá, não sou de intriga
E tenho de trabalhar!!!

No trabalho dou colinho
A quem é mais pequenino
Sabe tão bem um miminho
Pois é este, o meu destino

Mas faço com muito gosto
Adoro esta profissão
O mal é de quem está nela
E que não tem vocação

Ainda voltando ao colo
Quem não gosta, diga já!!!!
Adoro!!Mas sou pesada
E me calha pouco cá(He!he!he!)

mmeloup disse...

Olá senhora companheira poeta.:)
Há poucas palavras a que consigo chamar poesia. Isto é poesia.


__________

http://mmeloup.wordpress.com

Vieira Calado disse...

Gostei do jogo de palavras, do poema em forma de soneto.
É apropriado.

Quando lhe der jeito veja

o acrescendo que introduzi ao poema ao mar.


Beijinho

Lua disse...

Palavras que se sentem na pela, é bom ler-te!

clic disse...

Nesse colo que acalenta
Nesse mar que tudo banha
Essa brisa que é tão lenta
Essa vontade que arranha

:)

Baila sem peso disse...

Maria

Talvez não coincidência
Mas mais um estado de permanência
De que todos sem igual, na Primavera
Pensam no colo, em secreta vidência :)

Beijos em evidência de amizade primaveril

a.mar

É a Primavera que trás seu amor
Transportando o pólen ao colo de flor em flor
Seja abelhinha, seja vento, seja beija-flor…:)

Um carinho no meio do colo do doce tempo

alcinda leal

Olá minha amiga Alcinda
Hoje o dia está de suavidade linda
E o colinho é bem precioso
Que todo o ser vivo, deseja ansioso! :)

Beijinhos ao colinho dum obrigada
Pelos parabéns que deixou na “estrada”

Hana

O colo é um lugar de ouro
Que se iguala a um tesouro
Deixo meu carinho
A quem tão bem dá seu colinho :)

Muita ternura na ventura

Eduardo Aleixo

Um desaguar de sentimentos vários
Um aninhar de dores em baloiço
Um adormecer em braços de calor
Como no ar, os passarinhos oiço :)

Beijo estar de alicerce de carinho a respirar

Vítor

Sugaste o que havia na aragem
Comeste dos restos sedentos
Transformaste desejo em loucura
No caos dançaste dança selvagem
“Fulguraste” o teu condão de oração
E deste a beber do teu coração
Um líquido de alquimia, na secura

“Extasiaste” na quebra do espelho em ternura :)

eco

Ainda bem que gostaste
Vai num ecooooo em colooooo
Um obrigada, pelos parabéns que enviaste :)

E um baloiço de meu carinhoooooo :)

notyet

Toda a gente gosta!
Mas nem toda a gente pede…
Tem vezes que até dele se despede!
A prece pode ser um grito de mala posta
Ou um silêncio em que ninguém aposta!
Ah, mas de carinho, quem não gosta?! :)

Por isso deixo ficar, arrobas dele no ar!!!

poetaeusou

Sem dúvida que um beijo é sal
Que acalenta a amizade no tempo
E tem vezes, anda tão sedento
Que pede colinho a cada momento
No desejo do seu lamento…
Ah…e como ficou lindo teu condimento :)

(e já li tudinho…sal em carinho!)
Serenamente vai no vento…beijinho

Áurea

Continua a dar colinho
A teus meninos pequeninos
São eles que dão vida ao ninho
E cantam suaves e doces hinos!

Espero que não te canses muito
Pois tens outros feitos a tratar
Que o mundo roda no colinho
De outros mimos poder dar!

E tem mérito, muito mérito
Quem nasce com esse dom
De dar colo e receber beijinho
O lambuzar de “bonbonzinho”

Se és pesada, não tem mal
Pede colinho, com jeitinho
Abraça com força quem ´to der
E do pesadinho nasce levezinho :)

E te envio meu miminho levezinho
Amizade na troca de teu carinho

mmeloup

Ah, que engraçada tua saudação
Até fiquei “inchada” com a comoção
Poesia é tudo que escrevemos
Quando o soltamos do coração…
Sabes bem disso…pois então! :)

E fica o meu carinho num colo de gratidão

Vieira Calado

Ligam bem colo com soneto
Num jogo de palavras que comprometo…
É um sentir cá dentro o afagar em jeito…

Claro que dou passinho na poesia
E verei acrescento que poeta referia :)

E beijinhos em doce simpatia

Lua

Se as sentes na pele
O colo é desejo teu
A poesia vai no vento
E pára no anseio seu

Meu carinho em teu passinho

clic

Essa vontade que arranha
Só se for em fase de prurido
Porque o colinho se amanha
E só gosta de meigo sentido :)

Ah…`tava cá a faltar o teu ar
De carinho bem “curtido” :)

E a todos que precisam colo no Caminho
vai o desejo que o encontrem em doce ninho

tinta permanente disse...

O Desejo, ai, é um fogo que todos trazemos ao nascer!...
abraços!

Baila sem peso disse...

tinta permanente

Ai...e tão verdade esse dizer!
Escrito a tinta permanente
fica registado na cédula da gente! :)

Meu carinho embrulha abraço e beijo
neste meu desejo