segunda-feira, 19 de julho de 2010

Diz-me


Junto a brisas de brumas salgadas
Tantas das minhas lágrimas choradas
Se misturavam com o iodo
Numa mistura de elixir de um todo
Que sarava os meus porquês
Nas palavras que tu me lês...
Diz-me porque tem de ser assim
Apartada eu de ti e tu de mim...
Diz-me que teremos a mesma varanda
Cá deste lado ou lá na outra banda
Com solfejos de maresia nas marés
Que suavizem o caminho de nossos pés...
Diz-me com carinho, com verdade
E com o teu amor mata esta saudade
Diz-me porque ando triste e sozinha
Nesta multidão que se faz tão asinha...

Diz-me...olhando no meu olhar triste
As loucuras que tu nunca mais viste
Afagando-as com a inquieta imaginação
Que povoa a varanda do teu coração...

...um dia, navegando no deambular do tempo
que eu te abraçarei sem nenhum contratempo!

11 comentários:

Maria disse...

"Diz-me porque tem de ser assim"
Não sei, faço-me a mesma pergunta...
oxalá abraces mesmo, sem contratempo...

Um beijo, com tempo.

poetaeusou . . . disse...

*
um belo poema,
onde naveguei
entre brisas e maresias
na procura do cais
dos desencontros
sem arrais
e nas marés
dos contratempos
almejo
a varando sobre a vida,
e num rio de simpatia
que desejo !
,
conchinhas iodadas,
deixo,
*

a.mar disse...

Bailairina,
vai morar para Terra.
Distancia-te dessa margem, que te mantém a humidade nos sentimentos e na sua montra, os olhos.
Compra uma varanda virada para o campo, onde o Sol, as cores das flores e a fertilidade só façam crescer a companhia do amor e não a tristeza e solidão da saudade!

Um Abraço

Multiolhares disse...

Respostas eu não tenho
Mas uma ponte vou construir
Para que possas descobrir
Se tem de ser assim
Bj

Eduardo Aleixo disse...

É um poema cheio te tanta ternura! Aliás, gosto da tua ternura poética. Que, sem dúvida, reflete a tua. E gosto da simplicidadde da tua poesia. É bom visitar-te na varanda onde escreves poemas tãio singelos. E tao bonitos.

Vivian disse...

...o amor nos faz poéticos.

mesmo em meio as dores,
isso ele tbm tem de bom...

bj, querida!

Vieira Calado disse...

Um dia... talvez...

Que assim seja!

Bom Domingo!


Beijoca

helia disse...

Que bom "navegar no deambular do tempo...". Um Poema muito bonito!

AnaMar (pseudónimo) disse...

Com um poema destes a distância encurta, o abraço acontece.

Quanta ternura q rimar com candura. Que perdura.
Um beijo por mais um poema lindo, como são todos os que te leio.

mmeloup disse...

O melhor que já li por estes lados. Tudo tão ritmado e bem fluído. Está soberbo, entra tão bem no meu ouvido!

Poesia fácil de ler, poesia tão das conclusões à vista. Poesia que o mundo precisa para se lembrar que o melhor da vida são as coisas simples.

______

http://mmeloup.wordpress.com/

Baila sem peso disse...

Queria muito comentar um a um
o dizer que aqui veio nascer
pois com carinho percebo esse acontecer...mas tenho o meu computador doentinho já vai para duas semanitas e venho a correr num emprestado com todo o carinho deixar-vos um beijo bem aconchegado a todos juntinhos, que me fazem os dias mais bonitinhos...a ternura é um bem de muita verdade, a que me dou com simplicidade na troca da vossa bondade!!
Desculpem, não sei quando voltarei mas quando o fizer no meu cantito, prometo visitar o vosso espacito!:)
Isa