sexta-feira, 20 de agosto de 2010

Metades


Dentro do ser da vida vivida
Existem momentos e tempos
Uns são de uma tristeza sofrida
Outros de sorrisos sem lamentos...
Mas qual das metades de mim
Será a parte que ganha e olvida
Qual será a parte, enfim
Que perde por ser esquecida?!
Quantas metades temos nós
Que se dividem e completam
Enlaçadas dentro de nós
Quantas são as que vegetam?!
Talvez nem haja resposta
Talvez porque é triste e certa
Mas faz parte de mim, ser assim...
Tantas as vezes, incompleta!
Metades serão então?
Caio em contradição...
Pois as metades terão de ser iguais
Ou não? Fico então pensativa
E o meu conhecer se esquiva...

E o porquê, não procuro mais...
Porque cá dentro da minha rima
Metade existe que sempre anima!

13 comentários:

Baila sem peso disse...

- fotos minhas, enfeitadas por amigo –
Já faz talvez, um aninho...
obrigada pelo carinho...
minha amizade fica consigo!

Vivian disse...

...o tempero perfeito
é metade razão e metade
emoção.

assim somos nós em busca
deste equilíbrio tão
necessário.

estas linda na imagem...

bjbj, querida!

Multiolhares disse...

Como o nosso cérebro que também se encontra dividido entre o emocional e o intelectual, também o nosso comportamento e pensamento vive em eterna dualidade talvez seja aí que se encontra a perfeição
Bj

sérgio figueiredo disse...

Nada existe sem o bom e o mau. Ambos têm que ter o seu espaço dentro do nosso conhecimento. É nossa responsabilidade dar valor ao que mais pesa e isso, somos nós que temos de dar o juízo, à nossa sabedoria, à nossa vontade, para escolher o que queremos...o que desejamos ser nesta vida e pela qual devemos lutar.

bj...nho

notyet disse...

Ena que lindo de sorriso esboçado e muito escondido
Assim o beijinho não será à séria mas à sorridente. Com ternura que essa sempre dura

Eduardo Aleixo disse...

Como seres complexos somos mais do que duas metades. Somos um conjunto de elementos em interacção, dentro de nós, e em ligação com o cosmos, e com o mundo invisível. Aspiramos à totalidade, à união com o todo, à harmonização do físico, emocional e espiritual, e daí as partículas que nos formam estarem em perpétuo movimento. É a nossa condição.Mais vale que as águas se entrechoquem, se movimentem, repirem, do que a paz...podre.Beijo

poetaeusou . . . disse...

*
Amiga,
gostei do poema,
profundo, sentido .
,
as partes entrelaçadas,
são o todo desta vida
que terá de ser vivida
entre alegrias e ais
porém, não sofras mais
omite toda a tristeza
e fica com a certeza
desta opinião singela
vive a vida porque é bela
e mesmo em contradição
mergulhar na ilusão
é ser vagas encantadas !
,
marés de carinho, deixo,
,

Fa menor disse...

Que essas metades sejam feitas de amor... e vida!

Bjinhos

Coralina disse...

Deixou-me a pensar nas metades que terei em mim... E se serão mesmo metades, iguais...

Está muito bonito! Beijos

Maria disse...

As metades de nós completam-se, sempre...

Beijo.

Baila sem peso disse...

Vivian

Um equilíbrio que nos diz
Que o coração desconhece
O que a razão nos tece...
Vais ver...daí a nossa busca
Para um interior que procura
O alvo da nossa cura! :)

E aí vamos nós em descoberta
Mas sempre para nova pergunta
Fica a nossa mente aberta...

Obrigada pelo teu carinho
Fica no gesto um beijinho

Multiolhares

Encontra-se dividido dizes bem
Pois tudo é dualidade
No equilíbrio das metades
Existem tantas verdades
Que se escondem porém
Porque a perfeição só existe
Quando muito Alto a Vida assiste!:)

Obrigada pela tua definição
Todos na tristeza e na alegria
Como maré, que muda seu dia
No esotérico movimento
Yin e yang no firmamento
Fica sempre o meu alento...

Um beijo pela simpatia no teu coração

sérgio figueiredo

Sem mais, Sérgio, sem mais...
Nós dentro de nós, escolhemos
Sejam os laços sejam os nós
Na responsabilidade que existe...
A tristeza e a alegria sempre assiste
Quando é parte de nós que anda a lutar
Por um cantinho aqui neste estar...
Que bom era, se só fosse bom...
Mas a dualidade manda o mau também ficar!:)

Bjinho fica no teu gesto interior

notyet

Hehehehe...sabes como é!
Quando a alma é triste por natureza
O sorriso se esconde na certeza
Com medo de ser castigado...

Mas é claro e evidente, sorridente...

Beijinho fica com certeza
Na ternura da tua franqueza:)

Eduardo Aleixo

Somos um conjunto muito complexo
Que anseia pela ligação à perfeição
Coisa que não pode existir...
Mas sempre na procura de sorrir...
E no meio fica cada um à sua maneira
Triste ou contente, na sua condição
Em perpétuo movimento...
Mas porque não desejando a paz
Não, não podre...mas passeando com o vento
Ao sabor do bom ou mau, com doce sentimento?!:)

Entendi e agradeço e segue beijo como adereço:)

poetaeusou

Amigo e poeta das águas
Nós sabemos como as partes são entrelaçadas...
Tudo nos afecta afinal, de forma igual
Seja alegria ou tristeza
Anda na poética natureza...
Obrigada pela tua opinião!
Vamos dar luz e paz ao coração
Como na sua beleza o mar
De vagas encantadas para nos beijar
- até ele tem seus arrufos, pois então!!-
(sim, mesmo em contradição...
nada como um poema
que nos deixe na condição
da doce e calma energia
na palma de uma mão...:))

E ficam bailando beijos até ti, navegando:)

Fa menor

Ai, sem dúvida minha amiga!
Uma vida bem cheinha de amor
Que num todo se consiga!
A vida é uma pedacinho aqui e acolá
Cheinho de metades,
Colhendo nós inteiro
o fruto que ele nos dá!

Bjinhos cheios de vida nesta “corrida” :)

Coralina

Terás muitas com certeza
Feitas de cor, alegria, beleza
Porventura alguma tristeza
Mas decerto se apagará
Ao longo do passeio pelo meio
Pelo centro, acabando sempre e já
Com um doce de bom recheio!:)

Já não te via há algum tempinho
Irei passear no teu “moranguinho”...:)
E fica um beijo no teu caminho...

Maria

Sempre se completam...
Mas por vezes atormentam...
As metades e tudo o mais!!
E tão bom é, sem o mau a fazer ais!:)
É a lei do nosso interior
É a lei do outro exterior
Que nos faz interrogar
Mas no fundo, completar...

E o beijo fica que a amizade purifica :)

e a todos que metade se interrogaram
na outra metade aqui feita transparente
fica carinho no passo que não registaram
da metade, de quem não vê mas sente!:)

Vlinder disse...

Será que sou metades? ja nem sei : )
passa no meu blog se tiveres um tempinho, beijinho

Baila sem peso disse...

Vlinder

Todos somos metades
de muita coisa inteira
vá lá saber-se de vontades
e qual a parte verdadeira?!:)

Obrigada pela passagem,
aqui no cantinho, em tua "viagem"

beijinho dançarino