segunda-feira, 27 de abril de 2009

Vida **


Era a mais bela tarde, que me pôde acontecer
de todas as tardes quentes que a Vida possa ter

Tu vieste, no princípio do tempo me oferecer!

Era já tarde, mas tão cedo me trouxeste
a vontade parida em botão, de flor nascer

E no meu seio te deitaram, choraste
para o teu choro eu beber
e jamais connosco, ouve entardecer!

Tardes...as guardes, no Cântico do teu Viver!

**Para ti minha princesinha o condão da minha varinha

8 comentários:

Maria disse...

Tão lindo... devo dar os parabéns à tua princesa?

Deixo beijos. Às duas

notyet disse...

E na altura de voar, jamais esquece a ternura e ao ninho vai voltar.
Outra flor

as velas ardem ate ao fim disse...

Parabéns a ti é à tua Princesa!

Obg pelas tuas palavras no Velas.

bjo grande

alcinda leal disse...

Gostei e felicito a autora e a princesinha!
Bjs
Alcinda

Vieira Calado disse...

O poema é airoso.

Gostei.

Bjs

Teresa Durães disse...

é sempre bom ler de ti tanta positividade. parabéns!

Menina_marota disse...

Lembrou-me Ary dos Santos...

Parabéns a ambas

Um abraço ;)

tempusinfinitae disse...

Amor incondicional, sempre maior, sempre a abrir como a rosa.

Perfumes para sempre.