domingo, 1 de setembro de 2013

Encontros



E passa tão rápido o tempo
quando bordamos a ternura
que seda se parece com veludo...
e o momento é segundo
e o relógio pára na saudade
do que fica por dizer...
e a vontade nasce nos braços
que sonharam abraços
e trepa numa nostalgia
que desmaia em sorriso
e apenas fica a perceber
que tempo contado, é agonia...
e no bordado terminado
respira-se o momento sentido
que borda com carinho
a barra de azul vestido...

7 comentários:

Eduardo Aleixo disse...

Os teus poemas são sempre de veludo, ternos, como se fossem escritos por crianças com medo de afugentarem os adultos. Mas atraem as estrelas e o pipilar dos pássaros. Gostei, amiga.

Olinda Melo disse...


Belo, belo, minha querida amiga!

E eu que tardei tanto neste reencontro. Mas fiquei a ganhar, lendo e relendo estas tuas belas palavras que vão direitinhas ao coração.

Neste mundo cada vez mais confuso, é gratificante vir aqui e constatar que a doçura e a sensibilidade têm um lugar cativo e indispensável à nossa vida.

Um bom fim de semana, querida Bailarina.

Beijinhos

Olinda

jorge esteves disse...

É...
O tempo tem sido rápido;
e, talvez por isso não tenha dado tempo para ter tempo.
Mas vim.
abraço.
jorgesteves

DE-PROPOSITO disse...

E passa tão rápido o tempo
---------
Ou seremos nós que passamos pelo tempo?!...
---
Felicidades
Manuel

Baila sem peso disse...

Eduardo Aleixo

Que doçura de comentário meu amigo!
Saber que no meu tempo
As estrelinhas
E os passarinhos
No teu sentir
Fizeram brilhar os ninhos

Meus beijinhos

Olinda Melo

Ai (o)Linda menina
Tanta é a tua generosidade
Que põe meu ser
Cheio de vaidade!
Ainda bem que gostaste
Escrevo com a simpatia
De trazer serenidade à Vida
Que nos tem cativa!

Bom domingo (parece que amanhã sem pingo) ;)
Beijinho com carinho

jorge esteves

Sim, chegaste enfim!! (srsrsrs)
Eu tenho andado também tão afastada
E agora com um olhito que ficou doente
Ainda mais meu ser, estará ausente...
Que tempo...amigo...que tempo!!
Resta a serena vontade
Para lavar a mágoa da gente!

Abraço apertado num tempo
Em que não há tempo
Senão para t(r)ocar amizade

DE-PROPOSITO

Passa por nós o tempo, lento
E nós cruzamo-nos com ele
Que corre, é som de lamento
Figurão, que nos enruga a pele! :)))

Felicidades tb pa ti Manuel
Bjitos

Parapeito disse...

o tempo passa ...mas a amizade verdadeira fica sempre enlaçada com fita de ternura...brisas doces para ti ***+

Baila sem peso disse...

Parapeito

Sem dúvida nina azulinha...
com uma fitinha de cetim
feita de ternura
embrulho o tempo
com carinho de mim
enfeitado de florinha

brisa levezinha***