segunda-feira, 9 de março de 2009

Conjugação



Tu não vês que eu, amor não posso
Conjugar sentimentos dessa maneira
Eu queria utilizar a palavra no plural
Na primeira voz, não na terceira.

E sabendo tão pouco de gramática
Com receio até de cometer engano
Pela alegria do pouco, amizade fica
Pela dor de muito, o secreto dano.

Que importa agora afinal a conjugação
Se são eles que têm os verbos na mão
E nós, a vida que corre e nos não entende?

Chamar-te sem nome, é já consolação
Sentir-te sem tempo, doce recordação
Importa sim: amor que se não vende!

6 comentários:

tinta permanente disse...

Ao contrário do Poeta que dizia:
'(...)prende os cabelos teu vento
fecha a vida nos teus dedos
não vão teus dedos perder-se
que a vida também se compra
a vida também se vende
é simples mercadoria
nessa praça onde tu passas
tão sem preço como o preço
que o vento teria amor
se o vento tivesse preço'



abraços!

ลndreia disse...

Oh... que palavras lindas... e que sentimentos que permanecem e se dão nestas palavras... *

notyet disse...

E quantos de nós com "secretos danos"...
Beijinho

as velas ardem ate ao fim disse...

quem mnão nos sente ou naõ nos telefona...é porque morreu!

bjo

notyet disse...

E grato volto aqui, pois me tem brindado com as suas visitas.
Merece levar a flor, a menos que, se a deixar, à conta do sorriso e do perfume... volte...volte...volte
Beijinho

Teresa Durães disse...

o amor não se vende mas por evzes não baralhamos a definição de amor pelo desejo?