sábado, 23 de maio de 2009

Adormeci


Alvas horas, num dia, num esboço
Se bebe um silêncio de mão vencida
Meu corpo está dentro de um poço
E não consegue encontrar a saída

Encostei-me à calçada da vida
Tanto sono que tenho em alvoroço
Mal me encontrando de tão dorida
Continuo acordada em esforço

Já pintei, já escrevi, mas não te vi
Já tudo fiz para sair deste feitiço
Cada hora que passa aumenta enguiço...

Que terá sido que me corpo não venceu
Este tão grande adormecimento que é seu
O saber desfalecer e dizer que está aqui...

(sonhou!...decerto acordada adormeci, meu dia noite ganhou...e só a Lua lhe sorri!)

7 comentários:

Vieira Calado disse...

Às vezes não se sabe bem

o que é sonho ou realidade...

Beijoca

clic disse...

Vim agradecer e retribuir a visita e encantei-me com a magia das palavras!... :)

notyet disse...

Nunca é fácil sair do poço.
Sofrido e belo por paradoxo
Beijinho

Ana disse...

Ainda um dia te vais surpreender e ver que afinal a saída estava mesmo ali.
Gostei do teu poema.

Zilto disse...

Por vezes é dificil conseguir separar se ainda estamos no sonho ou se é a realidade que nos envolve.

Mas tu tens a Lua a sorrir. Só para ti.



BeSoS

DE-PROPOSITO disse...

Se bebe um silêncio
--------------
Uma forma de meditar!...
Fica bem.
E a felicidade juntinho de ti.
Manuel

aurea disse...

Que imagem tão bonita
Encontrei neste poema
A lua que me fascina
Desde menina!...Pequena

Que poemas tão bonitos
Neste glog encontrei
Entrei pela primeira vez
E tudo o que vi gostei

Gosto muito de poemas
De escrever e recitar
Por isso fiquei fascinada
Virei mais vezes espreitar.

Beijo