quinta-feira, 18 de junho de 2009

Paz


No alto, gritei o nome da Deusa
E Ela no meu coração respondeu
Com suavidade e toda a Sua beleza!

Um sopro de serenidade se estendeu
E acarinhou a lágrima, com firmeza!

A brisa penteou os cabelos da serra
E o mar calçou os sapatos do infinito...

Eu?...eu, abracei a Paz na oração do grito!

12 comentários:

Maria disse...

É o que apetece fazer com esta imensidão azul em frente: dar um grito!

Beijo

Nuno G. disse...

belo!!!! o infinito...

tempusinfinitae disse...

A Mãe Natureza num abraço que esmaga.


Denso azul, belas palavras.



bom fds a este bailado

notyet disse...

E mesmo o nosso deserto é finito...

clic disse...

Um grito é sempre uma grande ajuda!... :)

Vieira Calado disse...

Abraçar a paz do infinito.


Beijoca

alcinda leal disse...

A observação do mar traz-me sempre esse sopro de serenidade.
Belo poema e bonita foto!
Beijinhos e boa semana
Alcinda

Princesa disse...

Lindo de verdade
*O mundo é um espelho : se sorrires para ele, ele sorrirá para ti.*

uma boa semana
beijos

tinta permanente disse...

Lindo, suave e...infinito!


abraços!

Zilto disse...

Que imensidão!

Na foto e no teu poema.

Quase se sente o grito aqui...




BeSoS

Teresa Durães disse...

Lindo! Mas as Deusas só nos podem dar essa paz!

as velas ardem ate ao fim disse...

Divino!
bjo